Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Curta Partilha, Curta Opinião

07
Nov19

A falácia do Pensamento Positivo

Se eu afirmar que o pensamento positivo é uma enorme falácia que é defendida pelos eternos positivistas desta vida, alguns 'escritores' de blogs sobre saúde e bem-estar e  alguns autores de livros de auto-ajuda, é muito provável que me esteja a atirar para um buraco de ostracização onde à superfície estarão obviamente as pessoas que defendem tal conceito. Reparemos: sem consultar um livro de auto-ajuda (prometo), o pensamento positivista mais célebre é o tal "vai tudo correr bem, não te preocupes" [já nem falemos na questão de que pensar isto mil vezes seguidas vai fazer com que provavelmente possar acontecer algo positivo - mundos esotéricos deixo para os lunáticos]. Agora vamos realmente pensar no que é que este tão ilustre pensamento positivo nos vai ajudar na prossecução de qualquer que seja o meu objetivo ou qualquer prossecução na resolução do problema com que me estou a deparar. Mas não adianta pensar muito tempo, pois dificilmente encontraremos uma resposta efetiva. Dá para debitar muita teoria sobre este tema, mas acho sempre muito mais interessante um convite à breve reflexão. Este assunto é também uma das milhões de razões que vai de encontro a uma ideia muito real e que eu defendo perentoriamente: nem todos sabem o que é A Psicologia, nem todos sabem DE Psicologia, nem todos sabem as funções dos nossos comportamentos, das coisas que sentimos ou que pensamos e que os ditos "psicólogos da vida" vivem somente num mundo fantasioso.

Se eu deixar as reflexões de parte e proporcionar aqui um mini momento científico, será interessante referir um estudo de 2014 realizado na Universidade da California: este estudo dividiu 101 alunos em 3 grupos. Ao grupo 1, fizeram com que estes pensassem que iam obter uma boa nota no próximo exame (pensamento positivo), no grupo 2 fizeram com que estes pensassem no processo de estudar e fazer o exame (pensamento orientado para a própria função), e no grupo 3 não fizeram qualquer tipo de intervenção. Curiosidade dos resultados obtidos: os alunos do grupo 2 tiveram melhores notas que os alunos do grupo sem intervenção. E o grupo 1 (pensamento positivo) teve piores resultados do que o grupo 3. 

Estudo referido: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0146167299025002010