Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Curta Partilha, Curta Opinião

24
Out19

Desmistificar é fixe

Esta publicação vai ser muito simples. Para todos aqueles que acreditam no transcendental e nomeadamente naquela "milenária" prática do movimento das mesas circulares em reuniões espíritas (sim, há quem acredite mesmo) (consiste na colocação das mãos num copo que se vai mexendo e formando palavras e/ou dirigindo-se para o "sim" ou para o "não"). Agora para todos os crentes, pensem no que aconteceria ao tal "além" se: 

1. Colocassem um conjunto de cartões empilhados na mesa que podiam deslizar com alguma facilidade, sobre os quais os participantes apoiariam as suas mãos.

2. Vendassem todos os participantes.

Aqui têm apenas um exemplo da anticientificidade destas práticas "milenais" que ainda não se descobriu qual o verdadeiro objetivo das mesmas. No entanto, vivemos ainda numa sociedade que se deixa levar pelo jargão que estes protagonistas (verdadeiros impulsionadores da mentira) usam.

21
Out19

Homeoterapia ou Homeomentira?

A moral daquilo que vou aqui relatar é a seguinte: existe e continuará sempre a existir uma ENORME vantagem de estar informado sobre as coisas. No entanto, só quem quer realmente ter acesso à informação e informar-se é que acabará no final de contas por ser informado (um bocado a lógica da batata, mas para este caso é preciso mesmo relembrar isto).

Apenas umas pequeninas palavras para todos aqueles que já foram a um homeopata e que levaram para casa uma receita de Oscillococcinum que pode oscilar entre os 10 e os 50 €uros, supostamente prescrita para "alívio de estados gripais e dos sintomas decorrentes tais como febre, dores de cabeça, arrepios, dores musculares e afins." A verdade é que este medicamento é somente feito de ÁGUA e AÇUCAR (saibam: provar o contrário desta afirmação é impossível). Infelizmente esta é uma tendência das chamadas coisas "alternativas" (porquê alternativas? Questiono-me). Acusam a indústria farmacêutica de querer lucrar com medicamentos que têm de passar por montes e vales de testes clínicos (para provar EFICÁCIA INEQUÍVOCA) e não acusam uma caixa com medicamentos de água e acuçar cujos valores podem ascender ao rídiculo e que só tem de provar que é INÓCUA para ser vendida. Não admira que não tenha efeitos secundários realmente e que seja "liberta de químicos" (uuuuuuuh, assustador). Afinal onde está a tal "indústria"? Sobre este caso em específico, questiono: trata-se da homeopatia ou de uma homeomentira que pode muito bem causar danos graves a pessoas que recorrem a este tipo de serviços? Tomemos atenção a uma citação retirada da entrevista ao médico Edzard Ernst (currículo invejável), que já fora inclusive praticante temporário de homeopatia:

"Imagine este cenário. Uma pessoa pode ir a um homeopata com sintomas de dores de cabeça, por exemplo. Um homeopata dá-lhe um remédio e, talvez por causa do efeito placebo, a pessoa fica melhor. Pode fazer isso durante seis meses e a pessoa pode ficar sempre melhor. Mas se ela acabar por visitar um médico ao fim desse tempo, pode perceber que tem um cancro na cabeça, por exemplo. E, de repente, aquele paciente perdeu seis meses de uma luta que devia começar a ser travada de imediato. Há muito casos assim - de terapeutas que sobrestimam aquilo que podem fazer e fazem um paciente perder um tempo valioso. Tempo que podia salvar a vida. São os riscos indiretos das terapias alternativas que, mesmo que não funcionem, também trazem consequências negativas".

Agora vem a parte em que retiramos um momento para refletir sobre isto.

Fica também o link da entrevista: 

1. https://observador.pt/2019/10/20/de-defensor-a-critico-das-terapias-alternativas-ha-terapeutas-que-fazem-o-doente-perder-tempo-valioso/

2. https://www.publico.pt/2019/10/17/ciencia/entrevista/edzard-ernst-medicina-alternativa-ameaca-tratamentos-funcionam-bem-trocaos-perigosos-1890265

Ilustração de como o Oscillococcinum é feito:

diliuicao-homeopatica.jpg

 

07
Out19

Um possível resumo das Legislativas 2019?

O único elemento destas Eleições que não merece nenhuma salva de palmas ou sequer voto na matéria nos próximos 4 anos é a chamada abstenção. Mais uma vez, atinge resultados históricos (45,5%). Mas dá para encarar como um pau de dois bicos. Se com este nível de abstenção conseguimos colocar a Extrema-Direita no parlamento, temo pelo voto da percentagem que podia ter contribuido para a diminuição deste inércia. Mas quero muito acreditar que podia funcionar ao contrário, evitando estes 'incidentes' políticos.

Pela Extrema-Direita identifico todas as pessoas que se congratulam pelas causas do "Chega". Questiono-me até se sabiam no que votavam, se leram uma alínea que seja do programa base deste grupo partidário. Eu passo a elencar algumas:

- Eliminar o cargo de primeiro-ministro

- Castração química de pedófilos

- Permitir a prisão perpétua

- Criar uma taxa única de IRS

- Extinguir o Ministério da Educação

- Promover a gestão privada dos Hospitais e da Saúde

- Fim do casamento homossexual e adoção de crianças por casais homossexuais

- Citações muito interessantes de serem analisadas do ponto de vista da sua formulação: "defendemos uma sociedade com base no mérito, onde os melhores não serão prejudicados pelos medíocres!" ; "O fim da aplicação das ideologias de inclusão e ideologia de género no sistema nacional de educação, colocando-se termo à aplicação das orientações da ONU relativamente às chamadas 'questões psicológicas de transtorno de identidade de género'" ;  "Em todos os graus de Ensino os professores recuperam totalmente a autoridade perdida sobre os alunos, sendo-lhes devolvidos todos os meios que lhes permitam manter a disciplina nas aulas". 

Chega?

________

Outros elementos a relevar destas Eleições:

- Descobri, através do discurso de vitória da Iniciativa Liberal (IL), que o Socialismo governa Portugal há mais de 20 anos. Não sabia (possívelmente um equívoco). 

- Descobri também que a IL classifica os últimos 4 anos como "estagnação".

- António Costa proferiu no seu discurso de vitória "Com o Chega não contamos para nada". Acredito que a maioria do parlamento reitera esta afirmação.

- No seu discurso de vitória, o representante do "Chega" afirma que daqui a 8 anos vão ser o maior partido de Portugal.

- Rui Rio (PSD) apresentou um discurso mais ou menos firme e mais ou menos decidido. No entanto, tivesse ele feito a oposição que fez no último mês antes das Eleições e o resultado podia ter ser bem melhor. Porém, penso que os concensos em pontos nevrálgicos de Portugal, são possíveis (e.g., Defesa).

- O Livre, por Joacine Katar, defendeu a não proliferação da extrema-direita no parlamento.

- O CDS-PP obteve um resultado negativamente histórico, com a líder Assunção Cristas a colocar à disposição o futuro do partido.

- O Bloco de Esquerda, em certa medida, consolidou a posição. Já o PCP ambicionava claramente um resultado positivamente diferente daquele que teve.

- O PAN vê as suas ideologias reforçadas dentro do parlamento, inclusive ao eleger uma deputada que ainda tem de ler e saber melhor o que consta no programa do próprio partido. Não deve ser fácil, 1196 medidas não são fáceis de interiorizar, nem mesmo elas estando por pontos.

Em relação à solução política que vai ser encontrada para os anos de governação que se seguem, esta terá forçosamente de ser baseada numa premissa: estabilidade.

Mesmo em conclusão e sabendo eu que estamos numa democracia, não vejo frutos benéficos e sólidos numa pluralidade parlamentar da forma como ficou estabelecida nestas eleições. Não consigo encontrar uma vantagem firme. É como se a perfeita Curva de Gauss começasse a ganhar ligeiras alterações nas suas extremidades, passando assim a designar-se com outro nome, mais esquisito e mais estranho ...

sdssdds.jpg#legislativas2019

06
Out19

Legislativas 2019

Factos neste dia de voto nas Eleições Legislativas 2019:

1. As pessoas continuam desinformadas acerca da política e do mundo, alimentando cada vez mais os partidos Populistas que nem sequer sabem fazer e/ou não têm a mínima ideia, por exemplo, do que são cenários macroeconómicos.

2. A Legislatura de 2015 a 2019 foi significativamente melhor do que a Legislatura de 2011 a 2015.

3. Entre o PS e o PSD não há O MELHOR.

4. Contudo, estes (PS e PSD) continuam a ser os partidos mais coerentes, menos populistas do que todos os outros, com uma visão pró-Europa ESSENCIAL e capazes de exercer atos de governação deste tipo. Nota: mesmo em coligações (positivas).

5. Conseguirmos votar é um direito que foi outrora conquistado. Usufruir desse direito é um privilégio.

Votação-secreta-em-assembleia-condominial-01-1#legislativas2019